Topo
24 de May de 2018
60% dos empregadores consultam redes sociais para selecionar candidatos

60% dos empregadores consultam redes sociais para selecionar candidatos

Se você é do tipo que posta todas as suas intimidades e os seus micos na web, é melhor reavaliar seu comportamento. Cada vez mais os empregadores consultam os perfis das pessoas nas redes sociais na hora de fazer uma entrevista de emprego ou até de acompanhar melhor os passos de seus funcionários.

E isso não é só uma impressão. Um novo estudo do site de empregos career builder concluiu que 60% dos gestores vetam candidatos a um emprego por seu perfil nas redes sociais – no ano passado, eram 52%. “ferramentas como facebook e twitter permitem que os empregadores descubram quem os candidatos são além de seu currículo ou de uma carta de apresentação”, explica rosemary haefner, chefe de recursos humanos da career builder.

Ainda de acordo com a pesquisa, que incluiu 2.200 empregadores e mais de 3.000 funcionários, os chefes não entram nas redes sociais motivados a descartar pessoas que tenham se inscrito para alguma vaga, mas para buscar evidências de que um candidato é o ideal para o emprego. Mas, em vez de encontrarem informações positivas, 49% dos chefes disseram ter achado comentários que os levaram a não contratar ou entrevistar alguém.

Entre eles, 46% relataram ver imagens ofensivas ou inapropriadas, 43% uso de álcool ou drogas, 33% comentários preconceituosos sobre raça, religião ou gênero e 31% ofensas voltadas ao antigo trabalho. Além disso, 29% dos gestores afirmaram ter descartado um candidato depois de checar seus erros gramaticais nas redes.

Mas não é só quem está à procura de emprego que deve se preocupar: empregadores também ficam de olho nas páginas de seus funcionários atuais. Cerca de 41% consultam as redes para buscar informações de seus subalternos e mais de 25% disseram ter encontrado algo que os fez repreender ou até demitir algum funcionário.

Fonte: DaquiDali

Tags


Compartilhe

Google+