Topo
21 de November de 2017
Programa Trator Solidário abriu novos editais para 2017

Programa Trator Solidário abriu novos editais para 2017

O Governo do Paraná abriu dois novos editais para credenciamento de empresas interessadas em participar do Programa Trator Solidário executado há 10 anos pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e entidades parceiras. O programa foi criado para atender a pequena propriedade com o financiamento de tratores, colhedora de grãos e implementos agrícolas.


O primeiro edital contempla pulverizadores e tratores, e o segundo, colhedora. Para este ano, estima-se que serão aplicados até R$ 108,5 milhões para aquisição destes equipamentos.


Segundo o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, o objetivo é dar continuidade aos incentivos para a modernização da pequena propriedade. “Com este programa o Governo consegue facilitar o acesso dos pequenos agricultores as máquinas e equipamentos que tem seus preços reduzidos de 15% a 20%, em relação aos praticados no mercado”, explicou.


Por meio deste processo de chamamento público, o Governo abre a livre concorrência no mercado, obtendo como resultado uma redução dos preços dos equipamentos. Esse conjunto de fatores impulsionou o programa e tornou o Trator Solidário uma política pública, com elevado impacto social junto ao campo.


De acordo com o diretor do Deral (Departamento de Economia Rural) e coordenador do programa na Secretaria da Agricultura, Francisco Simioni, este ano a expectativa é de financiar mil tratores, 50 colhedoras e até 100 pulverizadores. Simioni destaca que todos estes equipamentos são compatíveis com as atividades desenvolvidas nas pequenas propriedades, que exploram feijão, milho, avicultura, piscicultura, fruticultura, e olerícolas”.


Em estudos realizados pela Secretaria, Emater e Iapar, foram definidas as características dos equipamentos para atender às necessidades dos pequenos agricultores.


TETOS FIXADOS - De acordo com os editais deste ano os preços dos tratores de 55/CV devem ter um teto máximo de R$ 66.500,00, os de 75/CV, sem cabine, no valor de R$ 84.800,00 e o de 75/CV com cabine, que foi lançado em 2016 e teve excelente aceitação, é de até R$ 101.300,00.


A colhedora de grãos com capacidade mínima de 175/CV está cotada ao preço máximo de R$ 338.450,00 e os pulverizadores, vão de R$ 9.741,00 com capacidade para 400 litros, até R$ 25.932,00 para o modelo mais sofisticado, com capacidade para 900 litros.


Segundo Simioni, já é grande a procura dos agricultores para estes financiamentos. A partir do dia 15 deste mês, os escritórios do Emater já estarão recebendo as pré-propostas dos agricultores, onde eles manifestam seu interesse e definem o tipo de equipamento, o agente financeiro que desejam fazer o financiamento e a marca dos produtos. Tudo é feito com a decisão direta do beneficiário.


PARCEIROS - Francisco Simioni ressalta o papel dos parceiros no programa Trator Solidário. Os agentes financeiros conveniados são representados pelo Banco do Brasil, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Central Sicredi, Central Cresol Baser e Agência de Fomento do Paraná que operam as linhas de crédito e da equivalência-produto respectivamente. Elas são fundamentais para que o produtor tenha crédito para comprar os tratores, colhedoras e pulverizadores.


A principal linha de financiamento do Programa Trator Solidário é a Mais Alimentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O Instituto Emater é o responsável pela seleção dos agricultores e pela elaboração dos projetos técnicos para compra dos equipamentos. Da parte dos fabricantes, Simioni informa que três empresas já estão credenciadas este ano.


A Secretaria da Agricultura gerencia o programa e promove a integração de agentes financeiros, fabricantes e concessionárias, assistência técnica, produtores/beneficiários e técnicos, permitindo que o fluxo operacional se desenvolva de forma contínua e harmoniosa em todas as etapas.


A Fomento Paraná, gestora do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), por sua vez é responsável pelo pagamento da equivalência em produto que é garantida pelo Tesouro do Estado.


Essa é uma parceria que funciona com celeridade, de forma simplificada e com acesso direto dos agricultores aos produtos amparados pela equivalência em produto dentro do Programa Trator Solidário.


Está em fase final de formação a base de dados que vai permitir aos agricultores, consultar no site da Seab/Deral, a fase está o seu pedido de financiamento e qual o tempo de entrega.


Fonte: Agência de Notícias

Tags


Compartilhe

Google+