Topo
22 de June de 2018
Semana do Meio Ambiente: apenas 3% do lixo brasileiro é reciclado

Semana do Meio Ambiente: apenas 3% do lixo brasileiro é reciclado

Panorama nacional e mundial


De acordo com a Abrelpe, Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, O Brasil produz cerca de 76 milhões de toneladas de lixo ao ano, 30% tem potencial de reciclagem, mas apenas 3% são de fato reaproveitados.


Os dados coletados para um panorama realizado pela Abrelpe destacou que o Brasil produz em média 387 quilos de resíduos por habitante por ano, entretanto apenas destina corretamente cerca de metade do que coleta (58%), sendo que só 3% de todo o lixo nacional é reciclado.


A Política Nacional de Resíduos Sólidos, de 2010, trazia como meta que até agosto de 2014, após a Copa do Mundo, o país não deveria mais usar aterros. Mas, de acordo com o último panorama da Associação, 42% de todo lixo coletado anualmente ainda são encaminhados para lixões.


Já o panorama mundial não difere muito da situação brasileira: para o Global Waste Management Outlook, calculou que em todo o mundo 2 bilhões de toneladas de resíduos sólidos são produzidas anualmente e que 3 bilhões de pessoas (cerca de 50% da população mundial) não fazem a destinação final adequada do lixo.


Para tentar reverter o quadro de produção de lixo, que afeta principalmente o meio ambiente e a saúde e a qualidade de vida de pessoas que vivem próximas aos aterros e lixões, a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em 1972, estabeleceu Dia Mundial do Meio Ambiente no dia 5 de junho.


Como apoio, o Decreto Federal 86.028, de 27 de maio de 1981, o governo brasileiro também estabeleceu que neste período em todo território nacional se promovesse a Semana Nacional do Meio Ambiente para apoiar a participação da comunidade nacional na preservação do patrimônio natural do país.


Como ajudar?


Uma das principais formas de ajudar na preservação do meio ambiente é a separação do lixo e reciclagem. Além de diminuir o uso dos lixões e aterros sanitários, utilizados apenas os rejeitos (restos de resíduos que não podem ser reaproveitáveis), a maioria dos resíduos sólidos gerados em casa pode ser reutilizada.


A reciclagem retira do lixo vários materiais que levariam muito tempo para se decompor no meio ambiente, como o plástico que leva 450 anos e o vidro até um milhão de anos.


Para ajudar como uma ação local na cidade de Medianeira/PR, a Publicar, veiculadora de Mídia Exterior, irá realizar ações de arrecadação de lixo separado para reciclagem durante todo o mês de junho no endereço Rua Olávo Bilac, 690, no bairro Belo Horizonte, região onde a empresa está localizada.


Além disso, a empresa acredita que a educação é a principal forma de incentivar a mudança de hábito para uma vida mais saudável. Por isso, a Publicar realizará ações de educação nas escolas do mesmo bairro, Belo Horizonte.


As atividades desenvolvidas e realizadas pela Publicar contam com apoio do departamento da UTFPR, o Programa de Educação Tutorial (PET) com os cursos de Engenharia Ambiental e Tecnologia em Gestão Ambiental, para ações nas escolas Escola Municipal Grizelde Roming Fischborn e Colégio Estadual Belo Horizonte a partir do dia 05 de junho.


Com palestras sobre reciclagem, dengue e óleo de fritura, separação do lixo e compostagem dos resíduos, os alunos vão aprender na prática como reciclar de forma correta.


Os principais grupos de separação de materiais recicláveis são:

Papéis: todos os tipos são recicláveis, inclusive caixas do tipo longa-vida e de papelão. Apenas não recicle papel com material orgânico, como caixas de pizza cheias de gordura.


Plásticos: 90% do lixo produzido no mundo são à base de plástico, material que leva muito tempo para se decompor. Por isso, recicle sacos de supermercados, garrafas (pet), tampinhas e até brinquedos quebrados.

Vidros: este é um dos materiais que leva mais tempo para se decompor. Por isso, não se esqueça de separar já que todos são recicláveis, exceto lâmpadas, cristais, espelhos, vidros de automóveis ou temperados, cerâmica e porcelana.

Metais: o Brasil já é um dos líderes mundiais de reciclagem de latinhas, sendo 97% de todas as latinhas produzidas, mas além de latas, é possível reciclar tampinhas, pregos e parafusos.


Fonte: Assessoria

Tags


Compartilhe

Google+